EUA recusa dialogar sobre a injustiça social.

Ocupa Wall StreetO movimento Ocupa Wall Street (OWS) em Washington DC, capital dos EUA, assinala que os funcionários norte-americanos esforçam-se por impedir qualquer diálogo acerca da desigualdade social.

Os indignados anticapitalistas que se congregam no OWS enfrentaram sérios desafios quando a policia desmantelou os acampamentos da praça McPherson, um pequeno parque perto da Casa Branca, segundo informação de Press TV.

Numa queixa apresentada ao tribunal, os manifestantes anti Wall Street, além de assinalar que é ilegal desmantelar os acampamentos, denunciaram que a policia do Serviço de Parques Nacionais (NPS) não aplicou os procedimentos adequados para confiscar, guardar e devolver as suas propriedades.

Apesar das declarações dos funcionários que alegam estar preocupados pela segurança e higiene dos acampamentos, os manifestantes pensam que os agentes pretendem esmagar os protestos, cuja voz se ergue contra a desigualdade social.

O ativista político Tighe Barry declarou que o problema principal da nação não é a higiene nem a segurança, mas sim abrir um diálogo sobre a injustiça que vive o país.

“Ocupa Washington” é considerado uma fonte de inspiração para os seguidores do grande movimento em general, enquanto a policia não para de reprimir os manifestantes.

O Movimento OWS começou o passado 17 de setembro em Nova York contra a iniquidade e o sistema financeiro dominantes e rapidamente se espalhou por diversas cidades dos EUA.

Segundo o site http://occupyarrests.moonfruit.com/, até à data de 31 de dezembro de 2011, 5,800 pessoas foram presas durante as expressões pacíficas deste movimento, em diferentes cidades do país.

Fonte: HispanTV

Comments are closed.